08/03/2017

PADRE REDENTORISTA NOMEADO BISPO

Papa Francisco nomeia bispo auxiliar para a Arquidiocese de Belo Horizonte, Monsenhor Vicente de Paula Ferreira.

PADRE REDENTORISTA NOMEADO BISPO

O monsenhor Vicente de Paula FerreiraC.Ss.R, foi nomeado bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte pelo Papa Francisco nesta quarta-feira, dia 8 de março.  A nomeação de monsenhor Vicente foi recebida com gratidão e alegria pelo arcebispo dom Walmor. “Nosso agradecimento ao Papa Francisco por nomear monsenhor Vicente para ser bispo auxiliar na Arquidiocese de Belo Horizonte. Todos nós o acolheremos com muita alegria, na certeza de que sua presença missionária muito contribuirá para os trabalhos de evangelização em nossa amada Arquidiocese”.

Monsenhor Vicente nasceu em Alegre (ES), em 21 de outubro de 1970. É graduado em Filosofia pela Universidade Federal de Juiz de Fora e em Teologia pela Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (FAJE). Doutor em Ciência da Religião pela Universidade Federal de Juiz de Fora, com estágio pós-doutoral em Teologia, na FAJE, é formador dos estudantes Redentoristas de Teologia, em Belo Horizonte e autor de várias obras. Pertence à Sociedade de Estudos Psicanalistas de Juiz de Fora (MG). 

Fez sua profissão religiosa na Congregação Redentorista, Província do Rio de Janeiro, em 1992. Foi ordenado presbítero em 1996. Com 25 anos de vida religiosa, monsenhor Vicente tem 46 anos de idade. Na Congregação Redentorista, dedicou-se à Província do Rio, Minas e Espírito Santo. Foi promotor vocacional, formador, vigário paroquial, participou de importantes trabalhos missionários e, por quase uma década, foi Provincial da Congregação.
 

Monsenhor Vicente de Paula Ferreira, C.Ss.R, será ordenado bispo no dia 27 de maio, às 10h, na Igreja São José (Rua Tupis, 164, Centro - Belo Horizonte). Contato: pe.vicente@veloxmail.com.br
 


- Mensagem do monsenhor Vicente de Paula Ferreira para a Arquidiocese de Belo Horizonte


Belo Horizonte, 08 de março de 2017

Saudações em Cristo Redentor!

“O Espírito do Senhor está sobre mim, porque Ele me ungiu para anunciar a boa nova aos pobres” (Lc 4, 18)

Prezado Dom Walmor Oliveira de Azevedo, Arcebispo de Belo Horizonte, caros Bispos Auxiliares, padres, diáconos, religiosos, religiosas, seminaristas, colaboradores, autoridades civis, povo de Deus, Igreja da Arquidiocese de Belo Horizonte. 

Quando fui informado pela Nunciatura Apostólica que o Santo Padre Francisco havia me nomeado como Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte, fiquei surpreso e imediatamente disse a Jesus que aceitaria como condição de servir ainda mais. Pedi o auxílio da graça divina, sem a qual será impossível levar adiante tão importante missão. Por isso, saúdo-vos com o coração livre. Quero ajudar, com alegria, no pastoreio da Arquidiocese de Belo Horizonte, parcela da Igreja de Jesus Cristo tão significativa. Admiro muito o dinamismo pastoral e vitalidade de tanta gente envolvida com a construção do Reino de Deus, nesse grande e belo horizonte. Se, por um lado, pesa saber das responsabilidades que terei pela frente; por outro, estou feliz porque tenho certeza de que serei acolhido por um povo fortemente hospitaleiro. Bênçãos!

Completo 25 anos de Vida Religiosa na Congregação Redentorista. Deixei minha família, em Araraí, Alegre, ES quando tinha 14 anos e, a partir daí, pertenci a essa outra comunidade maravilhosa que é a Província do Rio, Minas e Espírito Santo. Nela fui Promotor Vocacional, Formador, Vigário Paroquial, participei de vários trabalhos missionários itinerantes e fui Provincial por quase uma década. Deixar esse grupo missionário não é tarefa fácil. Nele moldei minha vida humana e cristã. Tenho a memória agradecida, sobretudo, pelo amparo que recebi quando foi preciso superar fragilidades e pela espiritualidade redentorista, parte inseparável de mim. Peço-lhes que rezem por mim e, humildemente, conto com o apoio de todos, sobretudo nesse inusitado tempo de travessias.

Trago na bagagem um coração desejoso de contribuir e ao mesmo tempo de aprender com vocês. Já morei em Belo Horizonte por cinco anos, quando estudei Teologia. Mas a história naquela época era bem diferente. No início de 2015, retornei para a Comunidade dos Estudantes de Teologia Redentoristas, como formador. Portanto, há dois anos tenho tido a oportunidade de conhecer um pouquinho mais essa grande metrópole que é a capital mineira. Como missionário, conservo um espírito profundamente encantado pela diversidade de nossas culturas, sobretudo quando elas nascem da criatividade dos pobres, na busca pela fraternidade, nesse mundo tão complexo.  

Agradeço a Dom Walmor Oliveira, Arcebispo de Belo Horizonte, pela confiança que deposita em mim. Creio que o pedido para que eu fosse seu Auxiliar, manifesta uma grande admiração pela Congregação Redentorista, principalmente nesse leste brasileiro, que ele bem conhece. Alegro-me muito por ter sido escolhido pelo Papa Francisco, pastor maior que sempre teve minha mais profunda admiração e adesão. Espero que consiga, em cada escolha de meu novo ministério, ecoar seus pedidos por uma Igreja comprometida com as feridas da contemporaneidade. 

Enfim, por saber da importância que a Igreja São José tem para a Província e para a Arquidiocese de Belo Horizonte, ela foi escolhida como espaço litúrgico para minha ordenação que será dia 27 de maio, às 10h, tendo como bispo ordenante Dom Walmor. Será um momento privilegiado de ação de graças e de contato inicial com vários de vocês. Ficarei muito feliz com a sua presença. Que Santo Afonso e Nossa Senhora da Piedade intercedam por todos nós.  

Fraternalmente, 
Mons. Vicente de Paula Ferreira, C.Ss.R.


- Mensagem do monsenhor Vicente de Paula Ferreira para a Província Redentorista



Belo Horizonte, 08 de março de 2017
Saudações em Cristo Redentor!

Copiosa apud Eum redemptio!

Prezado Superior Geral, Pe. Michael Brehl, querido Provincial, Pe. Américo de Oliveira, confrades redentoristas, padres, irmãos, seminaristas, missionários leigos e amigos participantes das missões, santuários, meios de comunicação, casas de retiros e de formação, paróquias, obras sociais e demais departamentos dessa tão estimada Congregação Redentorista.

Quando deixei minha família, em Araraí, Alegre, ES, aos 14 anos de idade, pensei que não mais faria uma despedida tão exigente em minha vida. Completo, em 2017, 25 anos de vida religiosa redentorista. Somando o período de caminhada nas comunidades vocacionais Santo Afonso, São Clemente, SPES, Noviciado e Dom Muniz, 32 anos já se passaram. Eis que aos 46 anos de idade o Senhor da messe, mais uma vez, convida-me a viver outra grande travessia. Confesso-lhes que deixar essa Província do Rio, Minas e Espírito Santo, na qual fui Promotor Vocacional, Formador, Vigário Paroquial, participante de inúmeros trabalhos missionários e, por quase uma década, Provincial não é tarefa fácil. Quando fui informado pela Nunciatura Apostólica de que o Santo Padre Francisco havia me nomeado Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte, senti-me bastante assustado. Antes de dar meu sim, rezei diante do Santíssimo e disse a Jesus, aceito como gesto de disponibilidade missionária, para servir, de modo especial, aos pobres.

Tenho consciência de que minha nomeação não aconteceu apenas pelos talentos, aliás as fragilidades são também grandes. De alguma maneira, represento um estilo de ser Igreja, que, em muitos pontos, correspondem ao que o Santo Padre vem pedindo. Sou filho de uma tradição redentorista, com as particularidades da Província do Rio, herdeira da ousadia missionária de Santo Afonso. Esse grupo, mesmo com tantos desafios, tem oferecido muita coisa boa para a Igreja de Jesus. Seu cotidiano propicia lindos caminhos de redenção a inúmeras pessoas, principalmente com o jeito misericordioso de anunciar o Evangelho. Deus quis que essa pequena porção do Povo de Deus doasse mais um bispo para o pastoreio de seu povo. Entendo tal acontecimento como oblação, oferta missionária como resposta ao imenso amor de Deus.

Levo comigo a lembrança carregada por tantas histórias que vivi com vocês. Sentimentos que chegam às lágrimas. Cada canto desse chão provincial, e de várias partes da Congregação pelo mundo, por onde passei, moldou o ser humano, o cristão em processo contínuo de conversão, o pesquisador inquieto da cultura contemporânea, e, acima de tudo, uma pessoa cheia de limites que foi amparada pela comunidade de fé, sobretudo em seus momentos mais difíceis.  Juntamente com minha família sanguínea, vocês redentoristas me possibilitaram construir o que tenho de mais precioso em minha vida.

Agora é tempo de novos rumos. Momento de exercer o distacco afonsiano. A bagagem está cheia de elementos humanos e cristãos que vocês me deram oportunidade de construir. Bens materiais? Pouca coisa. Eis o grande presente que a Vida Religiosa nos dá, a disponibilidade para viver mudanças missionárias. Foram várias, ao longo desses anos, vividas num desapego contínuo. Levarei muitas reflexões sobre o cristianismo na pós-modernidade, sobre a vulnerabilidade de nossa época, algum material de línguas estrangeiras, música, poesia e espiritualidade. O que mais? A alma inundada de carinho por todos vocês, inclusive por aqueles com os quais não fui tão caridoso. Peço-lhes perdão pelas falhas. Tudo me fez crescer muito e darei sempre um belo testemunho sobre esse grupo, desejando que ele aumente em número, qualidade e ardor missionário. 

Quando penso que, em breve, serei ordenado bispo, sinto-me também unido aos falecidos que fizeram história na Província. Lembro, especialmente, dos bispos Dom Tiago, João Muniz, José Gonçalves, José Brandão, Lélis Lara (que me ordenou padre), que foram exemplos de doação apostólica. E como não mencionar Santo Afonso, que depois de tanta resistência aceitou o episcopado! Gostaria muito de continuar contando com as orações de vocês e com a presença. Sempre que possível, seria um presente poder participar do cotidiano da Província e à Congregação. Espero que nossa amizade não se desfaça nem pela distância, muito menos pelas responsabilidades que o novo ministério me exigirá.

Por fim, sou grato a Dom Walmor, Arcebispo de Belo Horizonte, pela confiança que deposita em mim. Creio que o pedido para que eu fosse seu Bispo Auxiliar, manifesta uma grande admiração pela Congregação Redentorista, Província do Rio, nesse leste brasileiro, que ele bem conhece. Por saber da importância que a Igreja São José tem para a Província e para a Arquidiocese de Belo Horizonte, ela foi escolhida como espaço litúrgico para minha ordenação que será dia 27 de maio, às 10h, tendo como bispo ordenante Dom Walmor Oliveira. Espero por vocês. Que Santo Afonso e a Mãe do Perpétuo Socorro intercedam por todos nós. 

Fraternalmente, 
Mons. Vicente de Paula Ferreira, C.Ss.R.

Fonte: Arquidiocese de Belo Horizonte


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Nome: E-mail:
Cód. de Segurança:

* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.

Liturgia Diária

Bíblia On-Line

Avisos da Semana

Santo do Dia

Dizimistas


Calendário de Eventos

Calendário
« OUTUBRO 2017 »
S T Q Q S S D
25 26 27 28 29 30 1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31 1 2 3 4 5